Inédito: Energias renováveis ultrapassaram combustíveis fósseis na UE

Os países da Europa têm apostado bastante em energias renováveis. Portugal é um desses exemplos tendo até batido recentemente o recorde na produção de energia sem carvão. O sistema elétrico nacional esteve 111 horas sem usar a produção térmica clássica.

Notícias recentes revelam que, na União Europeia, o consumo de energias renováveis ultrapassou a energia produzida por combustíveis fósseis.

As energias renováveis geraram 38% da eletricidade da Europa

As energias renováveis ultrapassaram os combustíveis fósseis como principal fonte de eletricidade da UE pela primeira vez em 2020. As energias renováveis geraram 38% da eletricidade na Europa, ultrapassando os 37% do mercado gerado pelos combustíveis fósseis.

O estudo revelou que a eletricidade da Europa é 29% mais limpa do que em 2015. Isso de acordo com um novo estudo “The European Power Sector in 2020” realizado pelas Think tanks Ember e Agora Energiewende.

Os dados agora revelados foram impulsionados pela geração de energia eólica e solar que quase duplicou desde o ano de 2015 para fornecer 20% da eletricidade da UE em 2020. As maiores participações de energia eólica e solar ocorreram na Dinamarca (61%), Irlanda (35%), Alemanha (33%), e Espanha (29%).

Em contraste, a energia a carvão caiu bastante desde 2015. Em 2020, a geração de carvão caiu 20% para fornecer apenas 13% da eletricidade da Europa. Em comparação, a geração de gás caiu apenas 4% em 2020. Um preço robusto do carbono significava que a geração de gás era a forma mais barata de geração de combustível fóssil.

A procura de eletricidade na Europa caiu 4% em 2020, atingindo níveis mínimos em abril no pico dos bloqueios de COVID-19. O aumento das energias renováveis foi “robusto” apesar da pandemia, enquanto a queda dos combustíveis fósseis foi limitada por uma recuperação na procura e geração nuclear abaixo da média.

Fonte: https://pplware.sapo.pt/informacao/inedito-energias-renovaveis-ultrapassaram-combustiveis-fosseis-na-ue/

Deixe um comentário